Hoi An - Vietnam - Vida Cotidiana

Hoi An - Vietnam - Vida Cotidiana

segunda-feira, 10 de julho de 2017

Buenos Aires - Tigre

Quando você viaja muitas vezes para um mesmo destino, o grande desafio é descobrir lugares diferentes, novidades.. ver com outros olhos o que já vimos tantas vezes.
Comigo a grande surpresa desta viagem foi o Tigre. Já tinha ido lá pelo Trem de La Costa, e depois, peguei um Catamarã que navegou pelos diversos canais. Achei o lugar bonito, mas o passeio muito fraquinho.. sei lá. No caminho, conheci a praça matriz de San Isidro e este lugar sim, nunca me saiu da cabeça.
Para chegar no Tigre, há três opções: A primeira, mais conhecida, é pegar o Trem de La Costa, na Estação Retiro. A tarifa é mais cara, e, há uma parada em San Isidro. Atualmente, a estação de San Isidro está abandonada.. um horror!! O Trem para mas logo segue caminho. Quando eu fui, em 2004, havia um shopping e podiamos chegar até a Igreja, na praça que fica em frente a estação. Uma pena.
A passagem custa 20 pesos (para não residentes) e segue até o Delta do Tigre (vc pode ir parando no meio do caminho..). A estação do Delta é bem bonita, arrumadinha, e na região refizeram um passeio por toda a beira do Rio, que é utilizado pela população, principalmente aos domingos. A área é dominada por áreas livres, clubes de regatas e restaurantes (um preço um pouco salgado, mas vale pelo visual). Dali, saem os passeios para o Tigre de Catamarã. 
A segunda opção é utilizar o trem comum. A passagem custa 5 pesos, e há um grande porém: Se você quiser para em alguma estação no meio do caminho, tem que escolher qual a linha se adequa melhor ao seu trajeto, pois elas se bifurcam em um ponto. Mas, o ponto final de ambas é o Tigre. O trem é bem arrumado, limpinho, mas, fica cheio de vendedores de produtos (como no metrô). Pães, meias, eletrônicos.. um pouco de tudo. E a terceira opção é ir de carro. Imagine que, indo por dentro da cidade, é possível chegar bem rápido ao Tigre de carro.. Eu voltei de lá com uma amiga, e foi linha reta até o bairro do Onze, aonde eu estava. 
Como eu disse.. o que ver a mais no Tigre? O Puerto de Frutos! Você conhece? Nem eu.. então, parti pra lá. Antigamente, os frutos vindos da ilha eram desembarcados neste porto, e de lá distribuídos para a Capital. Com o tempo, o porto, virou uma feirinha de pouca mercadoria de frutos, mas, com muito artesanato, muitos restaurantes e até brinquedos de parque de diversão. 
O lugar é bonito.. a beira dágua, com o vai vem das barcas carregando de um tudo. Muito bucólico e interessante de ver. Entre o centro de Tigre (com o Parque de Diversões Parque de La Costa, a beira do Rio) e este mercado, passa-se um dia maravilhoso.
Quem vai passar o dia, pode escolher entre comer bem em um restaurante a beira do Rio (em um clube de regatas por exemplo) ou um choripán na beira do Cais. A diferença pode cair de 300 pesos, para miseros 27 pesos, incluindo uma pepsi em miniatura.. Para comprar, artesanato em couro, artigos místicos, artigos de decoração e poucas lojas de frutas ou compotas. (as nozes pecans são baratas e enormes aqui!!!).
Eu e minha amiga Alicia, en San Isidro
Tanto na ida como na volta, dê uma paradinha de pelo menos uma hora em San Isidro. Além da Catedral, que é linda, vale a pena visitar a Quinta Los Ombués. A vista do Rio é magnífica e os jardins são ótimos para perdermos uma tarde meditando..
Esta chácara pertenceu a família de Mariquita Thompson, uma argentina muito famosa nos idos de 1800 por abrir seus salões para intelectuais, estrangeiros e cientistas. Ela mesmo, uma mulher a frente do seu tempo, viveu mais parte de seus dias na casa que a família tinha na agora famosa Calle Florida, indo passar veraneios nesta linda Quinta. Vale muito a pena a visita.
Informações extras:
http://www.parquedelacosta.com.ar/
http://puertodefrutos.gob.ar/
http://www.quintalosombues.com.ar/principal.html
http://www.trenmitre.com.ar/horarios/
http://www.trendelacosta.com.ar/




quinta-feira, 29 de junho de 2017

Buenos Aires - E lá vamos nós de novo..

Buenos Aires.. ah.. nosso quintal... só que mais fresquinho. Nesta época do ano (julho/agosto) bem mais fresquinho!!
Já visitei a cidade umas 5 vezes.. e sempre dá pra conhecer um pouco mais, um lugar diferente... ou até visitar os mesmos lugares, que, evidentemente, apresentam algo diferente.. as cidades são mutáveis.. as pessoas mudam, tudo muda.. o seu próprio olha muda. Comigo não foi diferente.
Desta vez, fiquei uma semana estudando, então, tudo foi muito corrido.. mas, com a doença de viajante na veia, a gente se destroi, acorda cedo, dorme tarde, toma tramal, mas, estamos lá, firmes e fortes. Então, vou tentar dar umas dicas para quem quer fazer uma viagem boa bonita e barata na terra dos hermanos.
Microcentro:
Um bom passeio é começar com o Luna Park (centro de convenções e estádio para shows, mega famoso em todo o mundo).
Dali, você tem em frente o Puerto Madero, em seu começo tímido; atrás, a calle Florida, De um lado, a Plaza San Martin e mais adiante a Estação Retiro, e do outro, próximo algumas poucas quadras, a Casa Rosada. Bom, visitar a Casa Rosada por dentro requer uma reserva com muita antecedência pela internet. São grupos pequenos, guiados, e sem reserva, nem chorando ou apelando pela saúde da maezinha do guarda na portaria, como eu fiz.. não rola. Nos resta ir visitar o Museu do Bicentenário. Seria um museu da própria História política da Argentina, montado nas ruínas da Aduana Taylor (aonde os produtos eram recebidos) e do Forte de Buenos Aires, datado do Século XVIII.
Nele podemos ver vários objetos de presidentes, fotos, mobiliário, carruagens oficiais, e também artefatos do período pré colonia até os dias atuais.
http://www.casarosada.gob.ar/la-casa-rosada/museo
Dali, parti para o Centro Cultural Néstor Kirschner - http://www.cck.gob.ar/   um centro cultural de muito bom gosto, com ensaios de filarmônicas, eventos de balé, exposições.. muito bem estruturado e bem elegante. As vezes, podemos dar a sorte (como eu) de poder assistir um ensaio de um grupo de música clássica. Foi maravilhoso!!!
Estamos no centrão, então, a pedida é ir no Cabildo (nome dado na cultura espanhola aos locais que serviam como administração e até prisão na época da colonização). Fica do lado da Catedral e a visita é gratis. A Catedral também deve ser visitada, sendo que a sua fachada me deixa sempre na dúvida se estou em um teatro ou na Igreja de fato.. mas dentro, a coisa é diferente, e ela se apresenta em todo o seu esplendor. Não deixe de visitar o mausoléu de San Martin, sempre guardado por 2 militares.

 A plaza de Mayo nos abraça.. de um lado a sede do Governo, do outro a Catedral, e de outro, o burburinho dos edificios comerciais, a calle florida com seu comércio e seus turistas.. mais adiante, seguindo a Av 25 de mayo, o magnífico palácio do Governo. As vezes há manifestações.. Outras vezes só o zum zum zum do pessoal indo trabalhar.. mas vale a pena admirar sua imponência. Fora que no caminho, passamos pelo Café Tortoni, passamos pela 9 de julho (ao longe vemos o Obelisco), vemos as várias esculturas dedicadas a diverso ícones da história hispânica. Há uma estrutura montada em um edifício representando Evita.. (em Cuba tem uma igual, só que representando Che). Também vi uma escultura dedicada a Cervantes, e uma novinha, comemorando a nomeação das Cataratas do Iguaçu como Patrimônio da Humanidade. 
Se você estiver visitando a região num domingo, por favor, não perca a Feira de Santelmo. Vale pela variedade de pessoas que vendem e frenquentam.. Você encontra artesanato, comidinhas de vários países (arepas, empanadas, crepes..), roupa e é claro, antiquidades (algumas não tão antigas e não tão valiosas, mas tá valendo). A confusão e o burburinho começam logo ao lado da Catedral, e seguem toda a Calle Defensa até a Plaza Dorrego. Cuidado com os batedores de carteira e sigam com calma.. É uma feira livre para turistas, sem sombra de dúvida, mas é muito legal ver as cores, os produtos.
Podemos finalizar o dia no Café Tortoni, para aqueles que querem comer bem e aproveitar um show de Tango (lembrando que, devem ser feitas reservas com antecedência) -  http://www.cafetortoni.com.ar/br ou, seguir em direção ao Porto, atravessar a grande avenida e ir apreciar um bom bife de Chouriço em qualquer restaurante de Puerto Madero. Desta vez eu fui no Siga la Vaca (mas eu fui em San Isidro. De outra feita, fui na de Puerto Madero e os ambientes são bem diferentes.. e o preço também). Mas por ali opção é que não falta. Quem quer apenas um lanchinho, pode ir no San Juanino, ou em qualquer pizzaria que será igualmente bem servido. Detalhe: Em junho/julho 2017, o Peso custava 4,45 reais e uma comida em restaurante da mais modesta não saia por menos de 170 pesos. O Siga la vaca em San Isidro me custo 320,00 pesos (com refrigerante/agua inclusos). Uma empanada custava 11 pesos (podendo varia para mais, nunca para menos) e um pancho (cachoro quente) algo entre 10 e 15 pesos. Se levarmos em contato uma garrafa de vinho, pode acrescentar pelo menos mais 100 pesos. 




Agora também em versão para Leitura em Celulares!!!!!!!!! Aproveitem!!!!

Egito - Parte 1

EGITO - Sakkara e Memphis
 A imagem pode conter: 1 pessoa, céu e atividades ao ar livre
Estou bem atrasada.. não estou tendo tempo de atualizar o blog.. mas cá estou, firme e forte, e vou fazer um resumo da minha breve estadia nesta terra mística e ancestral. Já tentei visitar o Egito anteriormente, mas, houve a revolta e depois, um problema na malha aérea. Nesta terceira tentativa, teria que ser pra valer! E foi!
Bom, vamos começar do começo: Quem quer visitar o Egito tem que ter duas documentações básicas: 
1) Vacina contra a Febre Amarela (nunca vão ver.. mas imagina se você não tiver??? rs)
2) Visto (pode ser de estudante, trabalho..). Quem é do Rio, pode ir no Consulado do Egito que fica em Botafogo.(R. Muniz Barreto, 741 - Botafogo, Rio de Janeiro - RJ, 22251-090)
2.1) Antes, dê uma olhadinha no site e veja o que é necessário.. tem que pagar uma taxa, preencher um formulário, tirar foto.. Depois de tudo pronto, junte e leve no Consulado. Atenção: Um ou outro fala Português e alguns falam um inglês carregado! Mas com boa vontade, dá pra ser entendido e entender. Estando tudo em dia, eles ficam com o Passaporte de devolvem no máximo, uma semana depois. 
Como Chegar no Egito.
Bom, a maneira mais rápida foi a que eu fiz: Rio / Roma / Cairo. Mas você pode escolher ir por Madrid, Frankfurt.. tinha voo até fazendo conexão em Dubai antes de ir para o Cairo. Depende do teu bolso e do tempo que vc tem (se quiser ficar em uma dessas cidades depois para passear e esticar as férias..).
 A imagem pode conter: atividades ao ar livre
Eu, particularmente, contratei uma agência de viagens para fazer todo o pacote que eu tinha imaginado. Primeiro por que uma mulher viajando sozinha em mundo árabe não é recomendável. Segundo por que o Cairo (vocês vão ter a oportunidade de ver in loco, não é tão fácil de ser visitado. O Caos impera, a cidade é suja, tudo é muito confuso. Você leva mais de duas horas para chegar do aeroporto na cidade.. As vezes eu levava 1 hora e tal para sair do centro da cidade para chegar na área das pirâmides, aonde estava o meu hotel. Imagina fazer isso de ônibus ou taxi comum??
Neste pacote, eu planjei fazer mais do que o basicão oferecido pelas agências: Comecei pelo berço da civilização egípcia. Uma região que reune as cidades de Sakkara e Memphis. Sakkara é parte de uma grande necropolis da antiga capital do Reino, Memphis. Nesta região, todos os reis  da 1a e 2a dinastias foram sepultados, e os de outras dinastias, ainda fizeram seus Mausoléus.. Ela é conhecida por ter sido escolhida para ser o local da construção da primeira pirâmide de que se tem notícia, a pirâmide escalonada feita por Djoser, e idealizada e construida pelo Primeiro Ministro Ihmotep (não, esqueça o filme a mumia.. ele não é do mau e não vai reaparecer na região..). Inclusive, esse primeiro ministro tem uma parte no complexo toda dedicada a ele, e, em off, os egípicos tem ódio dos americanos por terem usado o nome dele para uma múmia mal humorada e rancorosa no filme. Em todo o entorno da pirâmide, podemos ver a estrutura que servia o Rei Morto na vida após a passagem: toda a família e serviçais mais próximos seriam enterrados no local (havia locais específicos para cada um deles). Outro mito: Quando o Rei morria, seus serviçais não eram mortos para serem enterrados com ele, para servi-lo na outra vida.. ao morrerem, eram enterrados junto a Pirâmide. 
  O Complexo é imenso. Muita coisa pode ser visitada, mas outros espaços ainda estão sendo escavados e estudados. Você vê tendas de arqueólogos em muitos espaços próximos. 
Depois, segui para Memphis, nome dado pelos Romanos para a antiga cidade de Mennufer, primeira capital do baixo Egito, primeira capital do Reino, e moradia real durante toda a chamada dinastia primitiva. Alguns relatos antigos dizem que Memphis só tinha uma rival na região que era Tebas (atual Luxor), e era um dos principais portos e centros comerciais da época. Agora, Memphis, é um pontinho esquecido, e poucas pessoas (principalmente os turistas) conhecem a sua importância histórica. Sakkara seria a sua extensão, sendo parte da sua necrópolis. 
A grande atração do local é o templo de Ptah (ou o que sobrou dele). Podemos ver a Esfinge, o obelisco e outras pequenas esculturas. Muitas, remetendo a Ramsés II, que seria o Faraó mais representado em todo o Egito, pois seu reinado foi o mais próspero e longevo entre todos. No local também podemos ver o grande colosso de Ramsés II, que guardava a cidade mas, devido a um grande terremoto, acabou tendo suas pernas quebradas. O resto da estátua encontrava-se em perfeito estado (foi toda feita em alabastro e como tudo que foi feito aqui, é para durar milhares e milhares de anos..). Então, foi feito um galpão para que a estátua fosse guardada e exibida deitada. Realmente, impactante pois, uma estátua deste tamanho, só tinha visto na Tailândia, e esta, feita milhares de anos antes, prima por sua perfeição de detalhes. Como alguém, com materiais e ferramentas rudimentares, pode ter feito um trabalho tão perfeito, tão liso, sem cortes ou farpas? Parece ter sido cortado a Laser, tamanha a perfeição. 
Como a cidade foi abandonada como capital, a população acabando usando todo o entorno para cultivar tâmaras, trigo, feno.. e toda a área no entorno da cidade foi desaparecendo sobre novas moradias e novas plantações. Nos dias de hoje, volta e meia, você vai ver plantações sendo escavadas, e novos sitios arqueológicos sendo descobertos. 
Este passeio dura praticamente todo o dia, e geralmente, é oferecido um almoço no meio do caminho (antepastos de entrada tipo tahine, babaganush e Homus. Para prato principal, geralmente opções de carne (kebab de cordeiro ou frango assado) ou peixe (sempre grelhado, servido com um arroz um pouco marrom que é muito saboroso), legumes cozidos e salteados, e as vezes uma batata frita para os turistas.. De sobremesa, sempre um doce árabe tipo baklava.

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Phuket - Thailand - Tailandia

Phuket. Um destino um tanto quanto desgastado.. Muito europeu atras de turismo sexual, mas, ainda assim, um destino que vale a pena incluir no seu roteiro. Fica pertinho de Bangkoc (1:30 horas), tem praias desertas, praias muvucadas, áreas para o pessoal badalar, lugares de contemplação e várias ilhas menores que podem ser visitadas em um ou dois dias de lancha.
A ilha foi devastada pelo tsunami de 2004, mas as partes turísticas foram ou estão sendo totalmente reconstruídas. O mesmo acontece, a passos de tartaruga manca, se você anda pelo interior da ilha.. Muitas famílias ainda vivem em casas improvisadas, mas como a maioria dos Asiáticos, sempre confiantes e simpáticos. Quando mais eu viajo pela Ásia mais eu me encanto pela maneira como eles encaram as adversidades e atendem os estrangeiros. Impressiona e apaixona. 
Voltando a Ilha. Quem quiser ficar no burburinho pode partir direto para a área de Patong. De dia, comércio e agentes de turismo vendendo passeios de barco, city tours e pacotes de mergulho ( a água é de um verde esmeralda impressionante e bem transparente. Fora que é morna tipo o mar do Nordeste). De noite, ela ferve! Estadio de Box Tailandês, boites, restaurantes.. Em épocas festivas, as ruas ficam cheias de pessoas vestidas com roupas coloridas. Legal de se ver. O que fazer em Phuket além de lagartear nas praias?? Em termos de ilhas, as mais conhecidas e por isso as mais concorridas, são as ilhas de Phi Phi no Mar de Andaman. As areias branquinhas contrastam com as paredes de pedra aonde as andorinhas do mar fazem seus ninhos (momento cultural: Esses ninhos são retirados após o voo dos filhotes, e vendido para uso culinário. O kilo passa de 1000 dolares!!!!!). Dois lugares são bem conhecidos nesta área: Maya Beach, aonde foi filmado a Praia, com Leonardo de Capri (fica muito cheio pela manhã); e a Monkey Beach, que como o nome sugere, serve de lar para vários macacos. Eles ficam pela areia ou pelas árvores, esperando que algum turista leve uma frutinha.. são bem simpáticos, mas, selvagens. Uma mordida deles além de dolorida pode transmitir raiva. Então, veja, tire fotos e tá de bom tamanho. 
Outra opção muito procurada é o passeio em Speedboat pelas pequenas ilhas de formação calcária ao longo da baía que agora são chamadas de Ilhas James Bond (por que o filme foi filmado aqui.. dammm).  Em termos de city tour.. vale a pena conhecer as cidade velha (com alguns prédios em estilo francês, da época da colonização), o Big Budha, que fica no topo de uma colina. O templo que fica embaixo da estátua está em fase de conclusão, mas vale a visita. Muitas imagens, muitos detalhes, benção de monges e uma vista deslumbrante.. 
Dali, direto par Wat Chalong - Um templo com vários Budas deitados ou reclinados, que é visitado pela população. Os detalhes são lindos e você pode deixar uma oferenda para os budas. A entrada é praticamente grátis.. quem quiser deixa uma doação. Na parte superior você tem uma vista maravilhosa da área dos templos emoldurados pela floresta, e também pode contemplar uma relíquia de buda, muito bem guardada e isolada em uma bolha de vidro. O local é lindo.. vale muito a pena a visita.. Outro templo muito famoso e misterioso é o What Pra Thong. No templo há uma estátua de ouro de Buda que está enterrada até os ombros. Quem tentou desenterrar o resto da estátua ou morreu ou teve acidentes muito sérios.. dizem que o resto da Estátua, que está enterrada, segue em direção a China.. Who knows??
Muitos mirantes, muita praia, muita natureza.. Você também pode alugar uma scooter e ir ao seu bel prazer. A ilha é relativamente bem sinalizada.. mas lembre-se: Eles dirigem na mão inglesa.. e não são muito bons na direção.. cuidado e caldo de galinha aqui não são demais..
Sim, aqui também há fazendas de elefantes e parques de tigres. Eu pessoalmente gosto de observar antes de ir nesses lugares.. Na visita dos Elefantes vi que eles não estavam presos, paravam quando queriam para beber agua ou comer algum matinho no meio do caminho e os tratadores não tinham ferro ferro na ponta do seu barrete. O que já é um bom sinal. Compreendo quem não gosta de que esses animais sejam explorados, mas também compreendo que muitos só podem viver disso, até por que por lei, os animais não podem mais ser utilizados para carregar peso no meio da mata, como faziam antigamente. Então, que façam passeios da forma que não os estressem muito e que sejam bem cuidados. Em Bangcok mesmo soube de um lugar bem ruim para visitas, mas em Chian Mai tinha o santuário em que eles eram bem tratados, mas, os turistas podiam interagir. Acho que temos que achar um meio termo. Enfim..Quanto aos tigres.. Tem um parque com tigres de vários tamanhos. Estão bem tratados, lindos, limpos.. até cheirosos, devo dizer.. tudo muito bem organizado e tal.. mas, estão em jaulas (menores, maiores de acordo com os animais) mesmo que com todo um habitat adequado, são jaulas, e estão muito calminhos.. Na mesma linha, existe o Fantasea, um show com danças típicas e claro, show com elefantes. Esse eu não fui e não recomendaria.. Acho que é exploração.. Falando sobre pássaros, há o Bird Show.
Continuando o city tour, fui no chamado jardim botânico deles. Já vi chácara de plantas maiores.. mas vale pela variedade de orquídeas e vitórias régias. Um passeio simpático.
Phuket é isso.. uma ilha cheia de possibilidades. Esqueça o preconceito: Se você não é de baladas, fique nas áreas de Kamala beach ou Nai Tong. Só tem praia boa aqui.. mas algumas mais cheias e outra mais vazias.. Eu tive a sorte de escolher um resort em Kamala beach, então, a parte da praia em frente ao hotel era só nossa.. vazia demais! Os turistas preferiam ficar na piscina.. Vai entender! Andando pela praia em direção oposta, você podia ver a praia se enchendo de turistas alemães e italianos.. mas nada absurdo.. muito tranquilo de andar e nadar.

Vamos falar sobre comidas? Claro, aqui o forte são os frutos do mar.. camarões, peixes, lulas.. E como em todos os lugares na Àsia, é muito barato!! Mesmo no hotel, um prato com camarões e lulas, me custo menos de 30 reais. Já na praia, ah, na praia.. Você encontra algumas barraquinhas que vendem panquecas tailandesas (maravilhosas.. parecem folhas de crepes muito finas..), frutas, drinks e comida de todo tipo. Eu comprei um arroz frito de camarões e lulas.. dava pra dois comerem bem!!! Maravilhosooooo!!! Custou módicos 5 reais!!! Quem não for preconceituoso e não tiver medo de pimenta (gente.. é só pedir non spice ou Mild.. eles entendem bem) come bem por demais!!!
Como chegar: Há voos diretos de Bangcok para Phuket, de Dubai para Phuket.. É um destino bem procurado por chineses e europeus.
Aonde ficar: Eu super indico o Novotel Kamala Beach. Simpáticos, cordiais, corretos.. um super café da manhã.. tem spa, tem massagem, transfers 3 vezes por dia para Patong.. a praia maravilhosa em frente..uma piscina de borda infinta na beirinha da areia.. comida nota dez. Vale a pena. http://www.novotel.com/pt/hotel-7235-novotel-phuket-kamala-beach/index.shtml
Quer uma dica mais baratinha? http://www.icheckinn.com/
Aproveite bem a ilha.. As vezes venta horrores e impossibilita os passeios náuticos. Então minha sugestão: Faça logo os passeios e deixe o city tour ou outros passeios na ilha para os outros dias. Melhor antecipar do que não fazer. Phukket é linda.. basta saber aproveitar. Cada um do seu jeito.


quarta-feira, 29 de junho de 2016

Túneis de Cu Chi - Vietnã

A cidade de Ho Chi Min City é a mais conhecida do Vietnã.. nunca ouviu falar? E Saigon, já ouviu falar? Nem que seja pela música.. Pois é.. a cidade trocou de nome em homenagem ao seu grande estadista Ho Chi Min. A capital é Hanoi, mas Ho Chi Min é a mais conhecida e visitada no Vietnã, por sua vital importância e resquícios da Guerra do Vietnã. Nos arredores da cidade, podemos visitar os antigos bunkers e instalações da guerra, numa região chamada de Cu Chi, que preserva uma fortaleza subterranea, com seus tuneis e armadilhas que foram determinantes na vitória dos Vietcongs contra os yankees (vamos considerar que os EUA e a França estavam  juntos nessa, ok?).
 Repare no esquema acima como os vietcongs conseguiam sobreviver em tuneis subterraneos, tendo poucas baixas durante a guerra: Eles faziam construções dentro dos túneis, como dormitórios, salas de reuninão, enfermarias.. tinha um poço para retirada de água diretamente de um lençol freática abaixo da instalação e ainda armazenavam armamento (do leve ao pesado) no local. Esse emaranhado de tuneis chegavam a 100 kms e podiam chegar a 5 andares. Veja no canto direito que havia uma saída estratégica pelo lado do rio, quando a maré estava baixa. Uma engenhosidade incrível que os aldeões locais foram capazes de criar. 
Ao longo da região, eles instalavam armadilhas (com ferros pontudos e bocas de lobo, por exemplo), pequenos orifícios eram feitos em antigos formigueiros, para ocultar metralhadoras e surpreender o inimigo, e, claro, pequenos buracos por onde eles entravam e saiam dos tuneis, geralmente ocultos pelas folhas que caiam das árvores da floresta. Uma engenhosidade que enganava os combatentes americanos, e os permitiam andar como fantasmas. As vezes, eram poucos vietcongs, mas, como podiam se mover nos subterraneos com muita agilidade, pareciam como milhares ao olho inimigo.  



Ao Lado - exemplo de armadilhas feitas pelos vietcongs. Elas ficavam camufladas e acabavam sendo fatais para os incautos que acabavam caindo nelas. Reparem que, os combatentes estrangeiros tinham que lidar com febre tifóide, febre amarela, sanguessugas, intoxicações alimentares e, qualquer ferimento, no meio da selva, seria praticamente mortal, devido a falta de remédios adequados. 

Ao Lado - os pequenos buracos por onde eles entravam e saiam dos tuneis.

Abaixo - Saida de um dos tuneis (o mais curto, claro). Vc pode percorrer-los, e escolher de acordo com a extensão de cada um. Mas, tem que ter sangue frio..Eles são minúsculos (até pra mim que tenho 1,50 mt) e totalmente sufocantes. Pessoas cardíacas ou que sofrem de alguma síndrome (pânico/claustrofobia) não devem entrar.

A área é enorme, e pelo menos, deve-se dedicar uma manhã para visitar-la. Há crateras de bombas B-52 em vários lugares e demonstrações feitas com bonecos, de como era a vida no lugar. Gostei muito, o lugar é bem preservado e os guias muito atenciosos. Eles tem muito orgulho de mostrar como derrotaram os americanos com tão pouco recurso e tanta engenhosidade. 

No final da visita, você pode treinar tiro ao alvo com armas de vários calibres. Você paga algo em torno de 10 dollares por 10 tiros e é levado para um lugar mais afastado e orientado como deve atirar, assim, como preparado com abafadores de ruído. Eu atirei com uma Ak-47 e vou dizer.. é difícil viu?? Fora os sustos que você leva com seus companheiros ao lado. 

O Complexo fica á 27 kms da cidade. A entrada custa aproximadamente 2 dollares, e o horário de funcionamento é de 7 as 17 horas. Apesar de ser um local aonde muitas pessoas morreram, os próprios americanos são os mais desrespeitosos e barulhentos. Tente ser discreto pois o lugar por si só é um santuário. 

quinta-feira, 16 de junho de 2016

Siem Reap - Camboja

Siem Reap
O complexo de Angkor é o lugar de maior relevância que deve ser visitado em Siem Reap. Pra quem conhece um pouco de história, sabe que esse complexo abriga o que seria uma potência mundial na sua época, sede do Império KHMER, período que compreendeu o século IX ao XV.  Nest complexo, podemos visitar Angkor Wat, Angkor Thom e Bayon, por exemplo. Podemos gastar mais de um dia visitando todos os templos e ruínas, mas é uma tarefa bem difícil!

Com aproximadamente 400 km2 de extensão, surpreende os visitantes pela imponência de suas ruínas, com influências da arquitetura hinduísta. Algumas, sendo restauradas. No complexo, podemos ver não só as estruturas para uso do império e corte, como também reservas de agua e áreas urbanas comuns. Está situada em um parque que é desabitado, com alguns poucos casebres em seu entorno. 

Vamos começar com Angkor Wat, o menor deles (menor em extensão, mas, acho que o que tem mais detalhes). Chegue se possível antes do amanhacer.. é um deslumbramento! Sente-se perto da beirinha do lago, cheio de lótus, e veja o sol brincando e fazendo sombras no horizonte do templo. Lindo demais. Cuidado, por que vive sempre lotado, e as pessoas realmente não tem muita noção.. se forem chineses então, empurram mesmo, e, o lugar é cheio de pedras lisas devido a passagem do tempo. 

A cidade é conhecida como a Cidade templo, e foi construida sobre um pântano, sustentada por galerias subterraneas. (no mapa acima você vai ver o fosso que a rodeia). Pensada inicialmente para ser a ultima morada do Rei, acabou sendo utilizada como centro urbano, e com o declínio do império, abandonada, e só depois de alguns séculos, redescoberta pelos turistas e considerada pela UNESCO patrimônio da humanidade.
Tenha um principal carinho em observar os detalhes.. afrescos de bailarinas, guerreiros e cenas de guerra, que contam várias histórias de conquistas e derrotas de inimios.

Cuidado com escadas e passagens irregulares. Novamente aviso que o perigo de queda é presente.. pedras lisas, irregulares e alguns lugares com madeiras já meio podres. Nada tira sua beleza, mas cuidado ao parar para tirar fotos.



Dentro do complexo, outra parada obrigatória é Ta Prohm. Esta é a menina dos olhos de todos os visitantes.. 
Este templo, construido em estilo Bayon é famoso por suas árvores que crescem abraçando as pedras do lugar. Incrível e inesperado!!! A impressão é que a Floresta está abraçando o templo.. um espírito de Indiana Jones toma conta de nós, óbvio!!! 
Impressionante de verdade.. você fica embasbacado com essa arquitetura diferente, ao mesmo tempo que sente que a natureza quer voltar e tomar conta do seu espaço novamente.. O Templo em si, internamente, não tem muito que ser visto.. na realidade, a maioria dos salões é muito escuro ou não podem ser visitados, pois alguns já desmoronaram e outros realmente não tem nem entrada, pois foram obstruídas com as raízes.
Ainda com disposição? É bom que tenha..agora que tal visitar Bayon, com seus Budhas que riem? Um lugar lindo e mágico.. se você for a algum show tipico, que narra a história da região, com certeza, os Budhas estarão presentes.

São 54 torres com um total de 214 figura sorridentes.

Depois de subir e descer, andar e descansar (quase nada), vamos em direção a Banteay Srei ou templo das borboletas. Este templo é considerado por muitos a cereja do bolo de todo complexo de Angkor: significa Cidadela de Mulheres, e por seu entalhe fino e delicado, realmente, acredita-se ter sido construido ou decorado por mulheres. O tom das pedras também é diferente.
Dali, seguimos para Batong, considerada a saída do complexo. Dedicada o Deus Shiva, um templo com estilo piramidal e cheio de escadas e torres. Take your time! Muito que ver e observar.. sente numa pedra e veja o entra e sai dos turistas.. imagine como era viver ali há séculos atrás.. veja o balé das borboletas ou os pássaros voando baixo. As vezes, um macaco é capaz de passar por perto.

O Complexo ainda tem outras ruínas, e em cada cantinho há uma surpresa. Ainda no final, temos o terrao dos elefantes, com vários entalhes (de elefantes, claro) e mais templos..

Como o complexo é localizado no meio de uma floresta, com um lago e um fosso, é um lugar maravilhoso para passeios a pé ou de bicicleta. Eu fiquei muito tocada pela quantidade de moradores que iam a beira do lago no final do dia, comer um lanche ou simplesmente, aproveitar o por do sol na vista do horizonte do complexo. Bonito de ver.. um lugar incrível e surpreendente a cada esquina. 
Para entrar no complexo é necessário a compra de ingressos para o dia, para dois dias ou três dias. veja no site maiores informações: http://www.autoriteapsara.org/en/apsara/tourism/visitor_info/angkor_%20pass.html
Se você já tem tudo organizado numa excursão, ok. Mas, no próprio hotel, pode-se pagar uma média de 5 dollares para ida e volta ao templo. Na maioria das vezes, o tuk tuk fica esperando a visita a cada templo e não tem tempo estipulado para o passeio. Mas, combine tudo antes! O combinado não sai caro.


A cidade é pequena, mas cativante. As pessoas são simpáticas, solícitas e tudo é muito barato!!! Você pode assistir shows de danças típicas grátis,fazer massagens, comprar souvenirs (incluindo vinho de arroz com serpentes dentro da garrafa!) e comer bem (desde que você saiba o que está pedindo, claro!) na Market Street. Parece muito com ruas do Nepal ou da India.. muita poeira, terra por cima do asfalto e comércio trepado um em cima do outro.



O ideal seria passar três dias no local.. dois dias para o complexo (no mínimo) e outro para aproveitar a cidade (geralmente, os hoteis tem spa, então, como a andança cansa e faz calor, até que é uma boa pedida).

Detalhe: Sempre use roupas abaixo do joelho e camisas de manga longa. Não faça como os americanos que vão de bermudas e camisetas.. temos que mostrar um pouco de respeito pela religião e culturas dos outros. Em alguns templos, não deixam entrar e ponto final!

Aonde Ficar: Central Boutique Angkor - http://www.centralboutiqueangkorhotel.com/ - bem localizado (cortando duas ruas, já estamos na principal) e ao mesmo tempo, bem escondido, o que deixa o local bem calmo e quieto. O restaurante do hotel também é uma boa pedida.. um drink sai por 2 dollares e uma refeição, 6 dollares.
Golden Temple - http://www.goldentemplehotel.com/

Aonde Comer: Madame Butterfly - http://www.restaurant-siemreap.com/html/madamebutterfly.php - sem dúvida, o melhor dos melhores. Mesmo neste 5 estrelas, você não vai gastar mais que 12 dollares por entrada/prato principal/sobremesa e bebida (cerveja ou refri). Também funciona como spa e boutique. Peça pra ficar no mezaninno.

Como Chegar - não há voos diretos do Brasil para o Camboja. Podemos ir até Dubai, e de lá para Bangcok e depois, para Siem Reap. Eu já estava no Vietnam (em Saigon) e fui para Siem Reap num voo de 40 minutos pela Angkor Airlines. Aventura.. me senti uma Indiana Jones, depois de ter saído de um lugar tão único, em um avião movido a hélices, e não jatos, como estamos acostumados.. Eis a graça de viajar.. surpresas!!!





terça-feira, 7 de junho de 2016

João Pessoa - Paraíba

Jampa - nome carinhoso pelo qual João Pessoa é conhecido. Lugar bonito, com pessoas agradáveis e muito simpáticas. Come-se bem e as praias são muito limpas e de uma cor incrível.
A cidade é relativamente pequena, e em um dia você conhece os principais locais turísticos. Depois, é só praia e comilança!!! 
A principal praia da cidade, aonde se encontram os principais hoteis, comércio e badalações é a praia de Tambaú. Mas, para uma pessoa mais tranquila, a praia seguinte, Cabo Branco, não tem tanto movimento de turista (mais moradores) e menos comércio. Relação custo x benefício, fica pouca coisa  mais barato se hospedar aqui, mas a tranquilidade é impagável!!
Ponta dos Seixas 
Bom, vamos começar pelo começo.. os pontos turísticos: Farol do Cabo Branco e o marco do ponto mais oriental do Brasil. Perto deste marco pode ser ver a ponta do Seixas, que é a praia que faz a tal voltinha no mapa mundi.. rs. Não há muito que fazer no local.. tem o tal sorvete de caipirinha (ok), lojinhas, artesãos e toca pra outro lugar.
Igreja São Francisco
Vale a pena conhecer o centro histório, apesar de estar todo pixado e bem mal conservado.. a Igreja de N.Sra de Nazaré (que foi o primeiro nome da vila), a Igreja de São Francisco de Assis (você se sente em qualquer lugar de Portugal) e o casario antigo.
Nada demais, mas, para não dizer que falei em flores..
Com o dever de casa pronto, partiu praias.
João Pessoa é um ponto estratégico para visitas nã
o só das praias de seu litoral, mas, para ir a outros estados.. podemos visitar Natal, Recife, Olinda, Porto de Galinhas.. Mas, já que estou em João Pessoa, quero conhecer o que ela tem a nos oferecer.
Comecei com o Litoral Sul, com praias quase desertas, com pouquissimo urbanismo (restaurantes e algumas lojinhas..).
Praia Bela - Aonde o rio encontra o Mar. Lindo e ótimo para as crianças
Praia de Tambaba
Tambaba - Praia com piscinas naturais de corais. Ótimas para banho, mas cuidado .. escorrega e corta!! Uma vez transposto o obstáculo (ui), aproveita-se muito! O mar é bem batido, por isso, o melhor é mesmo ficar nas piscinas. Para os que gostam, subindo uma escadinha no meio de uma trilha, está o lado naturista da ilha. Proibido entrar com roupa, mas aberto a todos que queiram experimentar esse modo de vida.

Praia de Coqueirinhos
Coqueirinhos - Uma praia espetacular. Bem vazia (tem alguns quiosques de um lado.. mas se você passar pela área de preservação ambiental, nem ambulante vai te achar). Mar tranquilo, turquesa, e é claro, morninho.. Leve algo para comer ou beber, por que senão, você tem que sair e andar um bocado para achar algo em algum quiosque.
* Entre essas praias há um passeio que entra na mata e nos leva a mirantes nas falésias, acima das praias. O visual é lindo e o passeio é bem simpático, feito em um jipe extendido, pintado de rosa.. a Penélope Charmosa. O Rodrigo (ou Rodrigay) faz o passeio, e põe uma trilha sonora de acordo com o trecho a ser recorrido. Custa R$ 39,00 mas, na minha minha opinião, vale pela simpatia e pelas fotos *
Vamos para o lado oposto, Litoral Norte?
Fortaleza de Sta Catarina
Mais urbanizado, mas, com a famosa praia do Jacaré, do bolero de Ravel. Já ouviu falar? Eu conto aí adiante. Saimos em direção a Cabedelo (marco zero da Transamazônica) e paramos para uma visita a Fortaleza de Santa Catarina (novamente, você pode pensar que está numa cidade portuguesa ou até em Sacramento, no Uruguay). Simples, mas imponente, serviu de proteção contra os ataques holandeses. Procure o guia Big Big.. diversão na certa!


Praia do Bessa
Dali, direto para a praia do Bessa. É uma praia urbana, com muita oferta de restaurantes e comércio, várias casas de veraneio a beira mar.. mas, ainda assim, bem tranquila. Ótima para práticas aquáticas como windsurf, kitesurf e similares. Ficamos no restaurante Lovina, que serve também como lounge e área de recreação para os pequenos. Basta andar 30 metros, e eis a praia.
Cansado de tanta praia, vamos para o Jacaré, que na realidade não é praia de mar, e sim uma praia de rio (mas não se pode banhar). Ao por do Sol, o saxofonista Jurandy toca o Bolero de Ravel em um barquinho, na beira do rio..
Vila Praia do Jacaré


Muita gente vê da beirinha, muita gente prefere pagar R$ 39,00 para ver de dentro de um catamarã, mas, o imporante mesmo é apreciar a beleza de espetáculo. Não importa se é playback.. o diferencial é que torna tudo tão lúdico e bonito. Ah, e a vila.. uma pintura! Vejo semelhanças com uma Rua das Pedras em Búzios (guardadas as devidas proporções) e uma ruazinha da cidade Hoi An no Vietnã.. Tudo muito colorido e alegre.



Aonde Ficar:
Hotel Littoral Cabo Branco -  http://www.hotellittoral.com.br/portal/
Hotel Tropical Tambaú - http://www.tropicaltambau.com.br/
Aonde Comer:
Restaurante Olho de Lula - https://www.tripadvisor.com.br/Restaurant_Review-g303428-d1371199-Reviews-Olho_da_lula-Joao_Pessoa_State_of_Paraiba.html
* Detalhe: tem o quiosque e o restaurante. Ambos são excelentes! *
Restaurante Malagueta: https://www.tripadvisor.com.br/Restaurant_Review-g303428-d2342593-Reviews-Restaurante_Malagueta-Joao_Pessoa_State_of_Paraiba.html
Passeios:
Luck Tours - http://loja.luckreceptivo.com.br/JoaoPessoa

sexta-feira, 20 de maio de 2016

FOTOS E MAIS FOTOS!!!

Hoje tirei o dia para visitar os arquivos antigos e ver fotos.. Resolvi compartilhar algumas, que, de alguma maneira, achei interessante/diferente..

Uma casa construída dentro de uma bolha, gerada por ar de uma bolha vulcânica. Cesar Manrique fez do árido improvável, sua casa maravilhosa -Isla de Lanzarote - España

Um dos lustres da sala de orações da Mesquita Al Zayed em Abu Dhabi. Suntuosidade!

Visual do complexo de Angkor Wat - Camboja.

Sinal de aviso para os moradores e turistas. Na boa.. daria tempo??? Acho que é só para apavorar mesmo! rs

Saigon - Monitor demonstra como os vietconges se escondiam nos subterraneos, durante a Guerra

ALEGRIA!

A vista entre névoas de Halong Bay. Áura misteriosa..

Esta foto fala por si só: Um vietnamita salva seu pet numa enchente. 

Detalhe de um bonsai, cheio de detalhes.. impressionante!!

Brilho e luzes na dança típica dos Emirados Árabes

Salão de Orações da Aya Sofia - Istambul

Vista da Antiga Biblioteca de Éfeso - Grécia

Uma foto que pode representar muitas cidades, em países de colonização portugesa. Neste caso, foto do casario de Paraty - RJ

Final de tarde em Mykonnos. A tranquilidade acaba as 23 horas, quando a ilha ferve com baladas e raves.