Hoi An - Vietnam - Vida Cotidiana

Hoi An - Vietnam - Vida Cotidiana

segunda-feira, 10 de julho de 2017

Buenos Aires - Tigre

Quando você viaja muitas vezes para um mesmo destino, o grande desafio é descobrir lugares diferentes, novidades.. ver com outros olhos o que já vimos tantas vezes.
Comigo a grande surpresa desta viagem foi o Tigre. Já tinha ido lá pelo Trem de La Costa, e depois, peguei um Catamarã que navegou pelos diversos canais. Achei o lugar bonito, mas o passeio muito fraquinho.. sei lá. No caminho, conheci a praça matriz de San Isidro e este lugar sim, nunca me saiu da cabeça.
Para chegar no Tigre, há três opções: A primeira, mais conhecida, é pegar o Trem de La Costa, na Estação Retiro. A tarifa é mais cara, e, há uma parada em San Isidro. Atualmente, a estação de San Isidro está abandonada.. um horror!! O Trem para mas logo segue caminho. Quando eu fui, em 2004, havia um shopping e podiamos chegar até a Igreja, na praça que fica em frente a estação. Uma pena.
A passagem custa 20 pesos (para não residentes) e segue até o Delta do Tigre (vc pode ir parando no meio do caminho..). A estação do Delta é bem bonita, arrumadinha, e na região refizeram um passeio por toda a beira do Rio, que é utilizado pela população, principalmente aos domingos. A área é dominada por áreas livres, clubes de regatas e restaurantes (um preço um pouco salgado, mas vale pelo visual). Dali, saem os passeios para o Tigre de Catamarã. 
A segunda opção é utilizar o trem comum. A passagem custa 5 pesos, e há um grande porém: Se você quiser para em alguma estação no meio do caminho, tem que escolher qual a linha se adequa melhor ao seu trajeto, pois elas se bifurcam em um ponto. Mas, o ponto final de ambas é o Tigre. O trem é bem arrumado, limpinho, mas, fica cheio de vendedores de produtos (como no metrô). Pães, meias, eletrônicos.. um pouco de tudo. E a terceira opção é ir de carro. Imagine que, indo por dentro da cidade, é possível chegar bem rápido ao Tigre de carro.. Eu voltei de lá com uma amiga, e foi linha reta até o bairro do Onze, aonde eu estava. 
Como eu disse.. o que ver a mais no Tigre? O Puerto de Frutos! Você conhece? Nem eu.. então, parti pra lá. Antigamente, os frutos vindos da ilha eram desembarcados neste porto, e de lá distribuídos para a Capital. Com o tempo, o porto, virou uma feirinha de pouca mercadoria de frutos, mas, com muito artesanato, muitos restaurantes e até brinquedos de parque de diversão. 
O lugar é bonito.. a beira dágua, com o vai vem das barcas carregando de um tudo. Muito bucólico e interessante de ver. Entre o centro de Tigre (com o Parque de Diversões Parque de La Costa, a beira do Rio) e este mercado, passa-se um dia maravilhoso.
Quem vai passar o dia, pode escolher entre comer bem em um restaurante a beira do Rio (em um clube de regatas por exemplo) ou um choripán na beira do Cais. A diferença pode cair de 300 pesos, para miseros 27 pesos, incluindo uma pepsi em miniatura.. Para comprar, artesanato em couro, artigos místicos, artigos de decoração e poucas lojas de frutas ou compotas. (as nozes pecans são baratas e enormes aqui!!!).
Eu e minha amiga Alicia, en San Isidro
Tanto na ida como na volta, dê uma paradinha de pelo menos uma hora em San Isidro. Além da Catedral, que é linda, vale a pena visitar a Quinta Los Ombués. A vista do Rio é magnífica e os jardins são ótimos para perdermos uma tarde meditando..
Esta chácara pertenceu a família de Mariquita Thompson, uma argentina muito famosa nos idos de 1800 por abrir seus salões para intelectuais, estrangeiros e cientistas. Ela mesmo, uma mulher a frente do seu tempo, viveu mais parte de seus dias na casa que a família tinha na agora famosa Calle Florida, indo passar veraneios nesta linda Quinta. Vale muito a pena a visita.
Informações extras:
http://www.parquedelacosta.com.ar/
http://puertodefrutos.gob.ar/
http://www.quintalosombues.com.ar/principal.html
http://www.trenmitre.com.ar/horarios/
http://www.trendelacosta.com.ar/




quinta-feira, 29 de junho de 2017

Buenos Aires - E lá vamos nós de novo..

Buenos Aires.. ah.. nosso quintal... só que mais fresquinho. Nesta época do ano (julho/agosto) bem mais fresquinho!!
Já visitei a cidade umas 5 vezes.. e sempre dá pra conhecer um pouco mais, um lugar diferente... ou até visitar os mesmos lugares, que, evidentemente, apresentam algo diferente.. as cidades são mutáveis.. as pessoas mudam, tudo muda.. o seu próprio olha muda. Comigo não foi diferente.
Desta vez, fiquei uma semana estudando, então, tudo foi muito corrido.. mas, com a doença de viajante na veia, a gente se destroi, acorda cedo, dorme tarde, toma tramal, mas, estamos lá, firmes e fortes. Então, vou tentar dar umas dicas para quem quer fazer uma viagem boa bonita e barata na terra dos hermanos.
Microcentro:
Um bom passeio é começar com o Luna Park (centro de convenções e estádio para shows, mega famoso em todo o mundo).
Dali, você tem em frente o Puerto Madero, em seu começo tímido; atrás, a calle Florida, De um lado, a Plaza San Martin e mais adiante a Estação Retiro, e do outro, próximo algumas poucas quadras, a Casa Rosada. Bom, visitar a Casa Rosada por dentro requer uma reserva com muita antecedência pela internet. São grupos pequenos, guiados, e sem reserva, nem chorando ou apelando pela saúde da maezinha do guarda na portaria, como eu fiz.. não rola. Nos resta ir visitar o Museu do Bicentenário. Seria um museu da própria História política da Argentina, montado nas ruínas da Aduana Taylor (aonde os produtos eram recebidos) e do Forte de Buenos Aires, datado do Século XVIII.
Nele podemos ver vários objetos de presidentes, fotos, mobiliário, carruagens oficiais, e também artefatos do período pré colonia até os dias atuais.
http://www.casarosada.gob.ar/la-casa-rosada/museo
Dali, parti para o Centro Cultural Néstor Kirschner - http://www.cck.gob.ar/   um centro cultural de muito bom gosto, com ensaios de filarmônicas, eventos de balé, exposições.. muito bem estruturado e bem elegante. As vezes, podemos dar a sorte (como eu) de poder assistir um ensaio de um grupo de música clássica. Foi maravilhoso!!!
Estamos no centrão, então, a pedida é ir no Cabildo (nome dado na cultura espanhola aos locais que serviam como administração e até prisão na época da colonização). Fica do lado da Catedral e a visita é gratis. A Catedral também deve ser visitada, sendo que a sua fachada me deixa sempre na dúvida se estou em um teatro ou na Igreja de fato.. mas dentro, a coisa é diferente, e ela se apresenta em todo o seu esplendor. Não deixe de visitar o mausoléu de San Martin, sempre guardado por 2 militares.

 A plaza de Mayo nos abraça.. de um lado a sede do Governo, do outro a Catedral, e de outro, o burburinho dos edificios comerciais, a calle florida com seu comércio e seus turistas.. mais adiante, seguindo a Av 25 de mayo, o magnífico palácio do Governo. As vezes há manifestações.. Outras vezes só o zum zum zum do pessoal indo trabalhar.. mas vale a pena admirar sua imponência. Fora que no caminho, passamos pelo Café Tortoni, passamos pela 9 de julho (ao longe vemos o Obelisco), vemos as várias esculturas dedicadas a diverso ícones da história hispânica. Há uma estrutura montada em um edifício representando Evita.. (em Cuba tem uma igual, só que representando Che). Também vi uma escultura dedicada a Cervantes, e uma novinha, comemorando a nomeação das Cataratas do Iguaçu como Patrimônio da Humanidade. 
Se você estiver visitando a região num domingo, por favor, não perca a Feira de Santelmo. Vale pela variedade de pessoas que vendem e frenquentam.. Você encontra artesanato, comidinhas de vários países (arepas, empanadas, crepes..), roupa e é claro, antiquidades (algumas não tão antigas e não tão valiosas, mas tá valendo). A confusão e o burburinho começam logo ao lado da Catedral, e seguem toda a Calle Defensa até a Plaza Dorrego. Cuidado com os batedores de carteira e sigam com calma.. É uma feira livre para turistas, sem sombra de dúvida, mas é muito legal ver as cores, os produtos.
Podemos finalizar o dia no Café Tortoni, para aqueles que querem comer bem e aproveitar um show de Tango (lembrando que, devem ser feitas reservas com antecedência) -  http://www.cafetortoni.com.ar/br ou, seguir em direção ao Porto, atravessar a grande avenida e ir apreciar um bom bife de Chouriço em qualquer restaurante de Puerto Madero. Desta vez eu fui no Siga la Vaca (mas eu fui em San Isidro. De outra feita, fui na de Puerto Madero e os ambientes são bem diferentes.. e o preço também). Mas por ali opção é que não falta. Quem quer apenas um lanchinho, pode ir no San Juanino, ou em qualquer pizzaria que será igualmente bem servido. Detalhe: Em junho/julho 2017, o Peso custava 4,45 reais e uma comida em restaurante da mais modesta não saia por menos de 170 pesos. O Siga la vaca em San Isidro me custo 320,00 pesos (com refrigerante/agua inclusos). Uma empanada custava 11 pesos (podendo varia para mais, nunca para menos) e um pancho (cachoro quente) algo entre 10 e 15 pesos. Se levarmos em contato uma garrafa de vinho, pode acrescentar pelo menos mais 100 pesos. 




Agora também em versão para Leitura em Celulares!!!!!!!!! Aproveitem!!!!

Egito - Parte 1

EGITO - Sakkara e Memphis
 A imagem pode conter: 1 pessoa, céu e atividades ao ar livre
Estou bem atrasada.. não estou tendo tempo de atualizar o blog.. mas cá estou, firme e forte, e vou fazer um resumo da minha breve estadia nesta terra mística e ancestral. Já tentei visitar o Egito anteriormente, mas, houve a revolta e depois, um problema na malha aérea. Nesta terceira tentativa, teria que ser pra valer! E foi!
Bom, vamos começar do começo: Quem quer visitar o Egito tem que ter duas documentações básicas: 
1) Vacina contra a Febre Amarela (nunca vão ver.. mas imagina se você não tiver??? rs)
2) Visto (pode ser de estudante, trabalho..). Quem é do Rio, pode ir no Consulado do Egito que fica em Botafogo.(R. Muniz Barreto, 741 - Botafogo, Rio de Janeiro - RJ, 22251-090)
2.1) Antes, dê uma olhadinha no site e veja o que é necessário.. tem que pagar uma taxa, preencher um formulário, tirar foto.. Depois de tudo pronto, junte e leve no Consulado. Atenção: Um ou outro fala Português e alguns falam um inglês carregado! Mas com boa vontade, dá pra ser entendido e entender. Estando tudo em dia, eles ficam com o Passaporte de devolvem no máximo, uma semana depois. 
Como Chegar no Egito.
Bom, a maneira mais rápida foi a que eu fiz: Rio / Roma / Cairo. Mas você pode escolher ir por Madrid, Frankfurt.. tinha voo até fazendo conexão em Dubai antes de ir para o Cairo. Depende do teu bolso e do tempo que vc tem (se quiser ficar em uma dessas cidades depois para passear e esticar as férias..).
 A imagem pode conter: atividades ao ar livre
Eu, particularmente, contratei uma agência de viagens para fazer todo o pacote que eu tinha imaginado. Primeiro por que uma mulher viajando sozinha em mundo árabe não é recomendável. Segundo por que o Cairo (vocês vão ter a oportunidade de ver in loco, não é tão fácil de ser visitado. O Caos impera, a cidade é suja, tudo é muito confuso. Você leva mais de duas horas para chegar do aeroporto na cidade.. As vezes eu levava 1 hora e tal para sair do centro da cidade para chegar na área das pirâmides, aonde estava o meu hotel. Imagina fazer isso de ônibus ou taxi comum??
Neste pacote, eu planjei fazer mais do que o basicão oferecido pelas agências: Comecei pelo berço da civilização egípcia. Uma região que reune as cidades de Sakkara e Memphis. Sakkara é parte de uma grande necropolis da antiga capital do Reino, Memphis. Nesta região, todos os reis  da 1a e 2a dinastias foram sepultados, e os de outras dinastias, ainda fizeram seus Mausoléus.. Ela é conhecida por ter sido escolhida para ser o local da construção da primeira pirâmide de que se tem notícia, a pirâmide escalonada feita por Djoser, e idealizada e construida pelo Primeiro Ministro Ihmotep (não, esqueça o filme a mumia.. ele não é do mau e não vai reaparecer na região..). Inclusive, esse primeiro ministro tem uma parte no complexo toda dedicada a ele, e, em off, os egípicos tem ódio dos americanos por terem usado o nome dele para uma múmia mal humorada e rancorosa no filme. Em todo o entorno da pirâmide, podemos ver a estrutura que servia o Rei Morto na vida após a passagem: toda a família e serviçais mais próximos seriam enterrados no local (havia locais específicos para cada um deles). Outro mito: Quando o Rei morria, seus serviçais não eram mortos para serem enterrados com ele, para servi-lo na outra vida.. ao morrerem, eram enterrados junto a Pirâmide. 
  O Complexo é imenso. Muita coisa pode ser visitada, mas outros espaços ainda estão sendo escavados e estudados. Você vê tendas de arqueólogos em muitos espaços próximos. 
Depois, segui para Memphis, nome dado pelos Romanos para a antiga cidade de Mennufer, primeira capital do baixo Egito, primeira capital do Reino, e moradia real durante toda a chamada dinastia primitiva. Alguns relatos antigos dizem que Memphis só tinha uma rival na região que era Tebas (atual Luxor), e era um dos principais portos e centros comerciais da época. Agora, Memphis, é um pontinho esquecido, e poucas pessoas (principalmente os turistas) conhecem a sua importância histórica. Sakkara seria a sua extensão, sendo parte da sua necrópolis. 
A grande atração do local é o templo de Ptah (ou o que sobrou dele). Podemos ver a Esfinge, o obelisco e outras pequenas esculturas. Muitas, remetendo a Ramsés II, que seria o Faraó mais representado em todo o Egito, pois seu reinado foi o mais próspero e longevo entre todos. No local também podemos ver o grande colosso de Ramsés II, que guardava a cidade mas, devido a um grande terremoto, acabou tendo suas pernas quebradas. O resto da estátua encontrava-se em perfeito estado (foi toda feita em alabastro e como tudo que foi feito aqui, é para durar milhares e milhares de anos..). Então, foi feito um galpão para que a estátua fosse guardada e exibida deitada. Realmente, impactante pois, uma estátua deste tamanho, só tinha visto na Tailândia, e esta, feita milhares de anos antes, prima por sua perfeição de detalhes. Como alguém, com materiais e ferramentas rudimentares, pode ter feito um trabalho tão perfeito, tão liso, sem cortes ou farpas? Parece ter sido cortado a Laser, tamanha a perfeição. 
Como a cidade foi abandonada como capital, a população acabando usando todo o entorno para cultivar tâmaras, trigo, feno.. e toda a área no entorno da cidade foi desaparecendo sobre novas moradias e novas plantações. Nos dias de hoje, volta e meia, você vai ver plantações sendo escavadas, e novos sitios arqueológicos sendo descobertos. 
Este passeio dura praticamente todo o dia, e geralmente, é oferecido um almoço no meio do caminho (antepastos de entrada tipo tahine, babaganush e Homus. Para prato principal, geralmente opções de carne (kebab de cordeiro ou frango assado) ou peixe (sempre grelhado, servido com um arroz um pouco marrom que é muito saboroso), legumes cozidos e salteados, e as vezes uma batata frita para os turistas.. De sobremesa, sempre um doce árabe tipo baklava.